Thursday, July 14, 2011

Leituras

A herança de Damásio, Vale & Companhia…

"Nós conhecemos bem a história, não a vou repetir. Em 1994 muda o presidente e treinador e tudo mudou. E mudou mesmo.

É consensual que foi um período trágico, em que mais do que as derrotas custou mesmo foi a perda de dignidade, internacional e nacional. Como já disse, vocês sabem a história. Naturalmente, duvido que muitos benfiquistas já tenham recuperado desse período. Mais até, os benfiquistas da minha geração têm até alguma dificuldade em saber como era o Benfica, qual era a nossa identidade antes de esta ter sido amarfanhada pelos ditos.

Esta introdução porquê? Bom, basicamente porque tenho passado os últimos tempos a remoer na enorme tolerância que há por parte dos benfiquistas à corrente gestão. Neste e noutros blogues gastam-se palavras a apontar e desmontar a parada de asneiras a que assistimos no Benfica e logo acorrem hordas de benfiquistas indignados a atirar pedras, revoltados com a traição.

A malta até comenta nos cafés, a malta critica enquanto encolhe os ombros, os jornais desdobram-se em bandas desenhadas carregadas de gozo e os adversários comentam com escárnio. Mas poucos se indignam. Pouquíssimos. A malta continua a ter esperança - pois claro, que é o Benfica, não haviam de ter – e vai-se aprendendo a achar normal as contratações disparatadas, as negociações intermináveis, as vendas pouco claras e trapalhonas, o tradicional enxovalho por parte do porto após nos termos posto de quatro atrás de um jogador por meses a fio que em segundos apanha a A1 para Norte. Tudo isto é normal, e se não for é por culpa dos adversários, dos empresários de jogadores, dos próprios jogadores ou do diabo em pessoa: o “bufas”, o “diabo”, o “papa”, o pinto da costa. É tudo culpa dele. Até sermos estúpidos é culpa dele.

E é aqui que chegámos. Esta foi a pior consequência daqueles anos negros. Não foram os 7-0 do Celta, o Leónidas ter vestido o manto sagrado ou o resenborg ter repescado o rushfeld depois das garantias bancárias terem batido na trave. Nada disso. Isso não foi o pior. O pior foi os benfiquistas terem-se esquecido do que é o Benfica, ou do que era o Benfica. O pior de tudo é malta já não se lembrar, ou nunca ter assistido, a um clube sóbrio, com identidade, com rigor, com gente com classe e, acima de tudo, com boa gestão, com um balneário forte e carregado de benfiquistas. Será a isto que se chamava mística? Mas ainda sabem o que é mística? Eu não – sou novo demais! – mas estes que lá estão, e vocês que os defendem, também não sabem."


Sérgio, em http://ontemvi-tenoestadiodaluz.blogspot.com/

5 comments:

71460_5/8 said...

Uma herança pesada sem dúvida! Só não há consenso é como lidar com esta herança do passado... Há uns que queriam que tudo fosse resolvido num instante como se faz magia. Outros acreditam que só o trabalho e o tempo devolvem o Benfica aos tempos de glória...

VenceBeiramar said...

http://benficacomdiogobarge.blogspot.com/

Paulo Santos said...

Tiago, quanto tempo mais é preciso para, pegando nas palavras do presidente, credibilizar o clube? Serão precisos mais 10 anos iguais a estes, com 2 míseros campeonatos ganhos, enquanto assistimos à ultrapassagem feita pelos rivais do norte?!

Anonymous said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Pepe Cadena said...

El mundial de 1994 fue uno de los mejores apesare de que fue en tiempos retrogrados. No puedo creer todos los buenos partidos que pude ver ese año